Blog

Domine a transformação digital para acelerar o seu negócio

É assim que o fazemos acontecer
Como é que o marketing digital afeta o comportamento dos consumidores?
This is some text inside of a div block.

É tudo sobre o consumidor

O marketing digital é uma das formas mais eficientes e eficazes de conectar os consumidores. Graças ao marketing digital, as empresas podem comunicar com os clientes através de uma variedade de canais, incluindo websites, email e plataformas de redes sociais.

Uma das grandes vantagens do marketing digital é que pode ser personalizado de forma a alcançar públicos específicos, tornando-o uma ferramenta poderosa para as empresas. No entanto, como estas dependem cada vez mais do marketing digital para chegar aos consumidores, é importante compreender como este tipo de marketing afeta o seu comportamento.

Neste artigo, iremos explorar alguns aspetos fundamentais que demonstram como o marketing digital influencia o comportamento do consumidor e como as empresas podem capitalizar estes efeitos. Fique atento!

Mas primeiro… O que é o comportamento do consumidor?

O comportamento do consumidor é o estudo de como as pessoas decidem o que comprar, o que consumir e quando se devem desfazer de determinado produto. Tal inclui uma série de ações, desde as transações mais simples, como comprar uma chávena de café, às mais complexas, como escolher um carro novo. Abrange todos os aspetos do processo de decisão do consumidor, desde a consciência inicial até ao comportamento pós-compra.

Se quiser vender mais produtos ou serviços, precisa de compreender o que motiva as pessoas a comprá-los. É, por isso, essencial entender também o papel do marketing digital a este nível.

Estudos sobre o comportamento do consumidor revelam o porquê de indivíduos ou organizações escolherem determinadas marcas em detrimento de outras quando compram produtos:

  • Fatores psicológicos: A forma como um indivíduo reage a uma campanha publicitária depende das suas perceções, atitudes e visão do mundo;
  • Fatores pessoais: A demografia, como a idade, cultura, profissão e antecedentes, define os interesses de um consumidor;
  • Fatores sociais: O grupo social de uma pessoa afeta os seus padrões de compra. Os seus rendimentos, nível de educação e classe social influenciam as suas escolhas.

A importância do marketing digital

O marketing digital é uma das ferramentas mais importantes que as empresas podem utilizar para alcançar novos clientes e para promover os seus produtos ou serviços. Num mundo cada vez mais conectado, as empresas necessitam de uma forte estratégia de marketing digital.

Existem aspetos muito distintos no marketing digital, mas alguns dos mais importantes incluem SEO, redes sociais e marketing de conteúdos. Ao concentrarem-se nestas áreas-chave, as empresas conseguem criar uma estratégia de marketing digital bem fundamentada, que as ajudará a atingir o seu público-alvo.

Tendo isto em mente, é possível destacar seis grandes vantagens do marketing digital que influenciam o comportamento dos consumidores:

  • Mantém os clientes informados das últimas tendências, uma vez que têm acesso imediato aos novos produtos ou serviços lançados;
  • As escolhas dos clientes aumentam, pois podem selecionar qualquer tipo de produto ou serviço e obter o melhor negócio;
  • Os clientes têm mais poder, porque têm a opção de dar feedback sobre os produtos ou serviços e de, consequentemente, tomar uma decisão de compra informada e inteligente;
  • Conveniência e serviço rápido – os clientes podem obter informações sobre o produto desejado com um simples clique e tomar decisões de compra rápidas, sem passar tempo numa loja;
  • As relações são incrementadas, visto que os clientes recebem um serviço de excelência, o que revela o grande impacto do marketing digital no seu comportamento;
  • Os clientes têm acesso constante a informação na Internet.

O impacto do marketing digital no comportamento do consumidor visto por diversos ângulos

Como é possível perceber, o marketing digital afeta, de facto, o comportamento do consumidor. Vejamos agora algumas formas concretas que nos mostram como isto acontece:

A capacidade de investigar e experimentar

Os consumidores já não ignoram os produtos. Eles são investigadores, especialmente quando fazem uma compra. Estão a ganhar mais conhecimentos à medida que a tecnologia lhes fornece toda a informação que necessitam através da Internet.

Além disso, têm agora muitos conteúdos a que podem recorrer para pesquisar e comparar diferentes produtos. Isto torna possível a experimentação de outra marca antes da escolha final. Assim, é possível ver que o marketing digital deu poder tanto às marcas, como aos consumidores.

Boca a Boca

O boca a boca é um dos fatores que mais afeta o comportamento dos consumidores. Estes estão sempre à procura do que as pessoas dizem sobre uma determinada marca. Com as redes sociais, os consumidores podem agora dar a conhecer as suas opiniões a um público mais vasto.

Isto é cada vez mais importante, tendo em conta que as marcas precisam de influencers que falem sobre elas, a fim de alcançarem cada vez mais pessoas.

Fidelidade incoerente do cliente

O marketing digital expõe os consumidores a uma grande variedade de produtos e serviços. Isto leva-os a procurar uma melhor relação custo-eficiência.

Atualmente, os clientes não só valorizam o custo de um produto, mas também fatores como o apoio ao cliente, o valor da marca e os descontos. Consequentemente, as marcas podem desenvolver mais características diferenciadoras e ofertas.

Embora tal possa parecer um fenómeno novo, é um comportamento que está apenas a ser destacado devido ao marketing digital.

Impulso no envolvimento do cliente

Devido à difusão da tecnologia móvel e da Internet, é mais fácil para os consumidores envolverem-se com as marcas.

Estas, por sua vez, percebendo esta tendência, agem em conformidade, fornecendo precisamente o que os clientes desejam.

Agora, o marketing digital serve de “ouvido” às marcas através dos dados que estas recolhem.

Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial tornou o marketing digital para marcas mais eficiente. É também uma forma eficaz de ajudar os consumidores a fazer melhores escolhas.

As marcas que recorrem à Inteligência Artificial têm uma vantagem significativa sobre as que não o fazem. E, uma vez que os consumidores estão sempre à procura de conveniência, eles irão optar por marcas que utilizam AI.

SEO

Apesar das mudanças que foram ocorrendo no marketing digital, há algo que permanece constante: as pessoas continuam a confiar nos motores de busca para as ajudar a tomar decisões. Portanto, o SEO é uma das melhores práticas para influenciar comportamentos.

A maioria das pessoas usa o Google ou motores de busca semelhantes para procurar informação. E a maioria também nunca passa da primeira página de resultados do Google. Por isso, é importante que mantenha a sua marca visível na primeira página e nos primeiros links da página de resultados.

Desta forma, as empresas criam conteúdos úteis e atraem backlinks para que consigam obter a melhor classificação possível e para se destacarem face à concorrência.

Tire o máximo partido do digital marketing!

Então, o que aprendeu com este artigo? Em primeiro lugar, o marketing digital está em constante evolução e a mudar a forma como os consumidores se comportam.

Em segundo lugar, é importante acompanhar estas mudanças, a fim de se manter à frente da concorrência.

Finalmente, a compreensão de como o marketing digital afeta o comportamento do consumidor pode ajudá-lo a criar campanhas mais eficazes e a melhorar os seus resultados.

Está preparado para testar este conhecimento? Contacte-nos para saber mais.

A magia do Webflow
This is some text inside of a div block.

Diga adeus a longos períodos de programação

O Webflow é uma plataforma de desenvolvimento de website low-code, onde acedemos a um painel de ferramentas com vários componentes, tais como sections, containers, divs, imagens, vídeos ou mesmo sliders. Os códigos HTML, CSS e JS destes componentes são automaticamente gerados pela plataforma.

Uma pontuação SEO perfeita e a velocidade de abertura do website são determinadas pela excelente arquitetura do código que está a ser gerado. Assim, é muito fácil para os sites desenvolvidos em fluxo Web atingir velocidades superiores a 90% no Google Speed Insights.

O Webflow CMS é também muito intuitivo e fácil de usar pelos clientes, tendo como base servidores Amazon S3 para uma gestão rápida do site.

Se é low-code, para que precisamos de programadores?

Como programadores, o Webflow permite-nos trabalhar mais rapidamente em aspetos como a estrutura da página, dando-nos mais tempo para nos concentrarmos no que realmente importa: tempo de desenvolvimento, interações, animações, desempenho e SEO.

Estas são as principais vantagens de desenvolver um website em Webflow:

  • Desempenho
  • SEO
  • Foco na marca
  • Eficiência de custos

Todo o código gerado através do Webflow é validado pela própria plataforma, o que o torna praticamente “à prova de bala”. Por outro lado, não precisamos de nos preocupar com atualizações de plugins ou riscos de segurança, tais como injeções maliciosas de código.

Como escolher entre Webflow e WordPress?

Na Vitamina, desenvolvemos websites adaptados a cada cliente, utilizando WordPress ou Webflow.

"O Webflow permite-nos dedicar mais tempo a interações, animações e desempenho. A parte favorita de todos os programadores de Frontend. E a minha também!” – Pedro Ribeiro, Frontend Developer

O tipo de projeto em que estamos a trabalhar determina se usamos Webflow ou WordPress, sempre com o objetivo de entregar ao cliente um projeto à medida, dentro do prazo mais curto possível!

Por isso, se tiver um projeto ambicioso em mente, não hesite em entrar em contacto. Estamos sempre à altura de um desafio!

ÚLTIMOS ARTIGOS
Google Partner:  O que é e porquê escolher uma agência parceira?

A certificação Google Partner para agências gera muitos benefícios, que se baseiam em três áreas principais: Educação e Estatística, Acesso e Apoio Técnico, e Reconhecimento e Prémios.

O que é o programa?

O Google Partner é um programa de marketing destinado a agências de publicidade ou terceiros que gerem contas Google Ads em nome de outras marcas ou empresas. O Programa Google Partners está activo em mais de 60 países e está disponível em 43 línguas.

A Vitamina. renovou o seu estatuto de Parceiro Google para 2021, reconhecendo assim o seu bom trabalho na gestão das campanhas de anúncios Google.

Este selo de qualidade e qualificações atribuído pela Google traz inúmeras vantagens, tanto para as agências como para os seus clientes. No entanto, para obter esta certificação é necessário cumprir certos requisitos.

Quais são os requisitos para ser um Parceiro Google?

  • Configurar e exibir de forma eficaz e otimizada as campanhas de anúncios do Google, de modo a obter os melhores resultados para os clientes. A conta do gestor registado no Google Partners deve ter uma pontuação mínima de optimização de 70%;
  • Investimento mínimo em publicidade de 10.000 USD (aproximadamente 8482 euros) nos últimos 90 dias;
  • Comprovar o conhecimento dos estrategistas, mediante a aprovação nos exames de certificação da Skillshop Google.

Quais são as vantagens de trabalhar com um Google Partner?

  • Apoio exclusivo, com serviço personalizado;
  • Atualização constante dos conhecimentos, através de formações exclusivas;
  • Descontos contratuais iniciais para os seus clientes;
  • Garantia de um bom desempenho dos anúncios.

Se o seu objetivo é impulsionar o seu negócio e a sua empresa aparecer nos primeiros resultados do motor de busca, trabalhe com uma agência parceira da Google.

Entre em contacto connosco.

Escrito por: Rita Pereira

Agora é fácil descobrir os 100 anos de história da Adega de Borba.

A Adega de Borba é uma das cooperativas mais antigas de Portugal, sendo por isso uma referência não só no Alentejo como em todo o país. Para o seu sucesso muito contribuiu o empenho de todos os associados, mas também as práticas sustentáveis que foram adotadas para tornar todo o processo produtivo mais ecológico.

O desafio

Debatemo-nos muitas vezes com trabalhos onde a recolha e produção de informação é um desafio. Com a Adega Cooperativa de Borba, o repto foi exatamente o oposto: incorporar quase um século de história dentro do seu novo site institucional.

Como torná-lo visualmente apelativo, legível, leve e, simultaneamente, interessante? O planeamento de conteúdo foi essencial para atingir esta meta, um trabalho realizado pelas nossas equipas de copywriting e de software development.

O processo

Partimos desde a primeira reunião com um objetivo claro: o novo portal digital da Adega Cooperativa de Borba não poderia ser apenas um site institucional, mas sim uma autêntica visita guiada à viticultura, à arte de produzir vinho, à comunidade envolvente e a todo o Alentejo. Isto, sem sair de casa!

O cronograma histórico foi, neste sentido, essencial no processo. Iniciando-se nos últimos acontecimentos que marcaram a Adega, passa em revista momentos que influenciaram a viticultura na região e termina quando tudo começou, isto é, cerca do ano 1000 aC, quando se introduziu a vinha no Alentejo.

Por outro lado, e de modo a tornar as páginas menos densas, focámo-nos na informação mais relevante, incorporando secções com ligação a uma área de conteúdos com uma contextualização mais alargada sobre os temas. Um destes exemplos é o cronograma dos Presidentes da Adega, onde utilizámos uma abordagem mais visual na homepage, passando o texto descritivo para um segundo nível de leitura.

Não esquecer igualmente todos os blocos que fazem uso de iconografia ou factos relevantes, o que ajudou a segmentar e a dividir a informação, destacando números, frases ou conquistas da Adega Cooperativa de Borba.

Por fim, a visita ao novo site institucional da Adega Cooperativa de Borba não faria sentido sem imagens que representassem a sua produção, as planícies alentejanas, as castas e, igualmente, os rostos que marcaram as diferentes presidências.

Neste sentido, analisámos um banco de conteúdos com mais de 500 imagens. Após uma minuciosa seleção, escolhemos as que melhor retratam a Adega.

O resultado

Qualquer visitante consegue agora ter uma noção mais real sobre a dimensão desta cooperativa, as suas práticas sustentáveis, os métodos utilizados na produção, o modo de armazenamento dos vinhos e, não menos importante, as razões pelas quais Borba é uma das sub-regiões em Portugal com maior capacidade de gerar néctares de qualidade.

Aliado a esta experiência imersiva passou a ser possível percorrer todo o extenso portfolio de produtos da Adega de uma forma simples e intuitiva.

Não perca mais tempo, agarre o seu copo, e embarque nesta viagem vitivinícola agora!

Escrito por: Diogo Santos

Tik Tok para empresas: o que saber antes de começar a usar

O TikTok é uma das redes sociais que mais rapidamente cresceu desde 2019 e promete continuar a fazê-lo este ano

O TikTok é uma das redes sociais que mais rapidamente cresceu desde 2019 e promete continuar a fazê-lo este ano. A aplicação já soma mais de 1 bilião e meio de downloads, assim como mais de 500 milhões de utilizadores mensais ativos. Esta plataforma consiste em curtos vídeos de 15 a 60 segundos gravados pelo próprio utilizador, permitindo que este faça a edição do conteúdo diretamente na aplicação.

Apesar da faixa etária predominante nesta aplicação ser mais jovem, entre os 16 e os 24 anos, o TikTok tem imenso potencial para ser considerado numa estratégia de comunicação, marketing e publicidade, até mesmo para as empresas!

De forma a tirar partido deste potencial, o TikTok criou o TikTok for Business, convidando as empresas a fazer TikToks em vez de anúncios. Neste serviço é utilizada uma ferramenta de gestão de anúncios dentro do TikTok, com quatro simples passos, desde a definição do objetivo da campanha e do público-alvo até ao desenho do anúncio. Para além disto, o TikTok for Business também permite gerar relatórios personalizados para analisar o desempenho dos anúncios e oferece um kit de templates de vídeo, facilitando a sua criação com conteúdo próprio.

Antes de começar a usar

  1. Explorar a aplicação

Uma grande diferença desta rede social é que o seu propósito é essencialmente para entretenimento, onde os utilizadores entretêm os seguidores e expressam-se de maneiras criativas.

  1. Criar vídeos

Como já foi referido anteriormente, os vídeos têm um máximo de 60 segundos e a aplicação oferece a possibilidade de edição direta na plataforma, podendo ser adicionada música (muita das vezes o conteúdo é apresentado sincronizado com a música escolhida), filtros, efeitos, texto e stickers.

  1. Explorar as hashtags

À semelhança das outras redes sociais, as hashtags também são importantes no Tik Tok. Para além de serem úteis para perceber que tipo de conteúdo tem mais visualizações, também permite dirigir a pesquisa para um nicho de mercado. Desse modo, é possível saber se já há outras empresas do mesmo ramo a produzir conteúdo para esta plataforma.

E agora?

Ao planear o tipo de conteúdo que se quer publicar, não esquecer que no Tik Tok os vídeos são mais espontâneos, permitindo que se possa usar apenas o telemóvel. Não é suposto um vídeo ser muito trabalhado, pois se o conteúdo for apresentado explicitamente em formato de anúncio é provável que não resulte nesta plataforma.

Aliás, nesta rede social o interessante é que as marcas mostrem um lado mais leve, não se levando tanto a sério, resultando em conteúdo mais descontraído e divertido. Podem, por exemplo, participar em desafios de hashtags ou criar o próprio desafio com uma hashtag pensada pela marca.

Uma caraterística muito particular desta rede social é que muitos dos vídeos “reciclam” conteúdos já existentes, como por exemplo, os utilizadores publicam vídeos com a mesma música, a fazer determinados passos de dança, mas vão acrescentando o seu próprio cunho. Isto também pode acontecer com um vídeo publicado por uma empresa, seja adicionando o produto na coreografia ou os seus colaboradores fazerem parte da dança.

Agora que já conhece melhor a plataforma, é importante refletir que tipo de conteúdo se adequa à marca e ao produto, seja behind the scenes, tutoriais ou lançamentos de novos produtos. O que é certo é que o TikTok veio para ficar, reforçando a importância do vídeo marketing, por isso vale sempre a pena experimentar esta plataforma.

SEO: Como escrever artigos otimizados

Um dos maiores desafios para produtores de conteúdo escrito é a produção desse mesmo conteúdo, estando simultaneamente optimizado para os motores de pesquisa e ser apelativo aos utilizadores. Produzir conteúdo escrito já não é meramente a tarefa de escrever. Importa igualmente otimizar, de forma a que seja facilmente encontrado pelas pessoas.

Voltando um pouco atrás, primeiro, o que é SEO? SEO é a sigla para search engine optimization, ou seja, é o método de otimização de conteúdo de forma a aparecer primeiro nos motores de pesquisa. Um artigo com SEO bem otimizado vai aparecer primeiro, em comparação com outros artigos do mesmo tema. Os motores de pesquisa utilizam um conjunto de algoritmos para determinar o cumprimento de determinados pré-requisitos para posicionar uma página nos resultados.

Existem alguns detalhes que se forem tidos em conta na elaboração de um artigo, podem fazer a diferença para que este seja bem posicionado nos resultados dos motores de pesquisa.

Um dos maiores desafios para produtores de conteúdo escrito é a produção desse mesmo conteúdo, estando simultaneamente optimizado para os motores de pesquisa e ser apelativo aos utilizadores. Produzir conteúdo escrito já não é meramente a tarefa de escrever. Importa igualmente otimizar, de forma a que seja facilmente encontrado pelas pessoas.

Voltando um pouco atrás, primeiro, o que é SEO? SEO é a sigla para search engine optimization, ou seja, é o método de otimização de conteúdo de forma a aparecer primeiro nos motores de pesquisa. Um artigo com SEO bem otimizado vai aparecer primeiro, em comparação com outros artigos do mesmo tema. Os motores de pesquisa utilizam um conjunto de algoritmos para determinar o cumprimento de determinados pré-requisitos para posicionar uma página nos resultados.

Existem alguns detalhes que se forem tidos em conta na elaboração de um artigo, podem fazer a diferença para que este seja bem posicionado nos resultados dos motores de pesquisa.

Título

Este é o elemento que pode ser visto nos motores de pesquisa. É o primeiro requisito para determinar a relevância de um artigo. O recomendado é que este tenha uma palavra-chave sobre o assunto do artigo e tenha entre 40 a 60 caracteres. O título deve ser atrativo, simples e partilhável nas redes sociais.

Descrição

Este elemento também pode ter o nome meta description e é o texto que aparece debaixo do título, dando mais informações, ainda que curtas, sobre o conteúdo do artigo. Deve ter no máximo 155 caracteres e, igualmente, a palavra-chave do assunto.

Palavras-chave

A palavra-chave também é conhecida como keyword e deve estar diretamente relacionada com o assunto do artigo. A melhor forma de escolher as palavras-chave mais relevantes é fazendo uma pesquisa de tendências. Uma opção gratuita para fazê-lo é o Google Trends.

Texto

No corpo do artigo deve usar a palavra-chave que escolheu de forma subtil. A proporção ideal é que a cada 200 palavras do artigo, a palavra-chave deve ser usada 1 vez. Isto sem colocar em causa a qualidade do conteúdo produzido. Usar essa palavra-chave em exagero, sem necessidade, fará com que o algoritmo penalize o posicionamento do artigo. Ao longo do texto, a palavra-chave deve estar no primeiro parágrafo e num dos subtítulos. No que toca ao comprimento do artigo este deve ter, no mínimo, 300 palavras e incluir hiperligações, subtítulos e bullet points. Os seus parágrafos devem ser curtos.

Hiperligações

As hiperligações são importantes para SEO, uma vez que ajudam a complementar a informação e a dar mais credibilidade ao nosso conteúdo. Este elemento pode ser de origem interna, ou seja, encaminha para outras páginas do próprio site/blog, ou pode ser externo, quando leva o utilizador para outros sites. As hiperligações externas devem ser de sites de referência e que ofereçam conteúdo extra sobre o assunto.

Imagens

No caso do artigo ter imagens, o que é extremamente recomendado, deve ser usada a funcionalidade de texto alternativo (Alt Text). Neste campo é possível fazer uma descrição da imagem inserida, o que ajudará os motores de pesquisa a saber o que significam. Normalmente este campo aparece aquando da sua inserção no blog.

Precisa de mais dicas de SEO? Então veja este artigo.

8 dicas para promover um Webinar

Na Vitamina., podemos dizer que tratamos os Webinars por tu. Foram várias as vezes que organizamos e comunicamos este tipo de eventos.

Na Vitamina., podemos dizer que tratamos os Webinars por tu. Foram várias as vezes que organizamos e comunicamos este tipo de eventos de clientes como a Saint-Gobain, a Flowinn ou a Amorim Cork Composites.

Para quem não conhece, um Webinar é um seminário ou workshop que é transmitido ao vivo online. Existe sempre um anfitrião que organiza o evento e que convida os oradores. E qual a principal vantagem deste modelo? Tanto os oradores como o anfitrião podem estar em qualquer parte do mundo! Naturalmente, a pandemia veio dar um maior impulso a este tipo de eventos.

Por vezes, algumas empresas batem-se com o facto de prepararem eventos online fantásticos, mas ninguém aparece. Como podemos garantir que as pessoas realmente marcam presença no nosso Webinar?

Há algumas dicas que podemos seguir para fazer com que o nosso público saiba do Webinar, se entusiasme com o mesmo e realmente participe!

1. Escolher um tópico atrativo e que conduza à ação

Este é um ponto essencial. Se o tema do Webinar for aborrecido e pouco interessante para o público que queremos atrair, é evidente que dificilmente alguém irá dispor do seu tempo para ir ao Webinar. Isto não significa que devamos escolher um tema demasiado abrangente. A ideia será que, no Webinar, sejam fornecidos conselhos que as pessoas possam aplicar após o evento.

2. Definir objetivos

Para poderes medir o sucesso do teu Webinar, o ideal será definires objetivos reais do número de participantes. O Webinar pode funcionar para aumentar awareness da marca ou para gerar conversões, por exemplo. Nesse ponto, deves também definir objetivos e KPI’s, para que possas medir o sucesso do mesmo.

3. Escolher o dia e data ideal

Pode parecer uma dica óbvia, mas a verdade é que o dia e hora do Webinar é essencial para o seu sucesso. Por exemplo, ao fim-de-semana há uma menor disponibilidade para este tipo de eventos. O ideal será experimentares e veres o horário que melhor funciona para o teu público. Deves ter em atenção as necessidades dos participantes e mesmo o horário do local onde se encontram.

4. Criar uma landing page informativa

Deves ainda construir uma landing page clara, objetiva e concisa para os possíveis participantes ficarem a par dos pontos mais importantes do Webinar. Assim, esta deve responder às questões: Quem? O quê? Quando? Onde? Porquê? É nesta landing page, com um formulário personalizado, que os interessados no Webinar se poderão inscrever.

5. Interagir com os participantes através de e-mail

À medida que os interessados se vão inscrevendo na Landing Page, deves enviar-lhes um email de agradecimento. Assim, sabem que a sua inscrição está garantida. Além disso, deves garantir que não se esquecem do evento – há muita gente que se inscreve com muita antecedência. Podes colocar um Call To Action no email, por exemplo, que garanta que os participantes adicionam o evento ao calendário. Podes ainda enviar e-mails para que os participantes não se esqueçam do Webinar cerca de duas semanas, uma semana antes e, ainda, no dia anterior.

6. Comunicar o Webinar nas redes sociais

Podes e deves calendarizar publicações que informem a tua audiência sobre o Webinar. Assim, chegas a um público mais amplo e conduzes os interessados para a Landing Page que criaste para o efeito. Com a data a aproximar-se, a frequência de publicações sobre o tema deve aumentar. Podes ainda incentivar os oradores a partilharem as publicações, para que a mensagem chegue a mais interessados.

7. Não ter medo de usar Paid Media

Se tens um orçamento que te permite, podes usar Paid Media para aumentar a audiência do teu Webinar. Podes optar por anúncios de texto do Google Ads e otimizá-los para termos relacionados com o tema do evento. Outra opção será publicitar algumas das publicações que fizeres nas redes sociais.

8. Escolher a melhor ferramenta para garantir uma boa experiência

Mesmo que o Webinar seja interessante, bem promovido e tenha muita adesão, tudo poderá ser em vão se a ferramenta onde este for dinamizado não corresponder às expectativas. Existem, atualmente, diversas ferramentas que garantem uma boa experiência, nomeadamente o Loom, o GoToWebinar ou mesmo o Webinar.

10 Dicas para escrever anúncios de texto para Google

Os anúncios do Google são um dos tipos de anúncio que desenvolvemos. Conheça algumas dicas para criar este tipo de conteúdo.

Um dos maiores desafios para um criador de conteúdos digitais é ser capaz de não só adaptar o conteúdo à identidade e objetivos específicos de cada cliente, mas também às características e especificidades de cada plataforma.

Os anúncios de texto do Google Ads são um dos tipos de anúncio que podemos desenvolver. Estes anúncios são exibidos acima e abaixo dos resultados da Pesquisa no Google e são compostos por três partes: texto do título, URL de visualização e texto de descrição.

Para além das exigências obrigatórias, como os limites de caracteres de cada campo, devemos considerar algumas recomendações como fundamentais, se queremos que o nosso anúncio consiga destacar-se dos outros anunciantes e conquistar tráfego qualificado. Partilhamos a seguir as 10 dicas essenciais para criar anúncios que arrasam na conversão:

  1. Incluir as palavras-chave no copy

O Google esforça-se para oferecer aos utilizadores os resultados de pesquisa mais relevantes. Ao julgar a relevância dos vários anúncios que competem num determinado leilão, o Google confia em palavras-chave. Assim, as palavras-chave ajudam o Google a determinar os anúncios que são relevantes para uma consulta específica.

  1. Alinhar a mensagem com a customer journey

Ao escrever um anúncio é fundamental concentrarmo-nos em atender às necessidades exclusivas de quem procura algo relacionado com o nosso negócio, e isso significa alinharmos as nossas mensagens com as várias fases da jornada do cliente.

  1. Dizer às pessoas porque devem clicar no nosso anúncio

Nós não queremos só atrair cliques, queremos atrair cliques qualificados. Apenas queremos que cliquem no nosso anúncio aquelas pessoas que se podem tornar nossas clientes. A maneira mais direta e eficaz de conseguir evitar que o nosso orçamento seja desperdiçado com cliques não qualificados é através do copy. Devemos informar de forma clara qual é o nosso produto ou serviço e a quem é dirigido.

  1. Não gastar espaço com o que a audiência já sabe

Ao escrever um anúncio estamos limitados no número de caracteres que podemos usar e não há margem para desperdício. Deve-se evitar escrever conteúdo que não acrescenta nada sobre o valor que o serviço oferece aos seus clientes.

  1. Otimizar o copy para dispositivos mais pequenos

Há cerca de um ano, o Google aumentou ainda mais os anúncios de texto com um terceiro título de 30 caracteres e uma segunda descrição de 90 caracteres. Mas há um problema: dispositivos mais pequenos, como smartphones, nem sempre podem acomodar três títulos e duas descrições.

Nesses casos, o Google cortará automaticamente parte do copy. Para evitar a perda de partes importantes dos nossos anúncios, devemos incluir essas informações (como a proposta de valor) nos dois primeiros títulos e na primeira descrição.

  1. Escrever 3 anúncios e perceber o que converte melhor

Primeiro, escrevemos um anúncio que responde à pergunta do leitor “o que há para mim” e apresente o valor do produto e o resultado de o usar na perspetiva do leitor. O segundo anúncio deve concentrar-se mais nos serviços que a empresa fornece. Qual é a solução, qual é o problema que estamos a resolver? Para o terceiro anúncio podemos ser mais criativos e fazer algo diferente dos dois primeiros, experimentar um título mais arriscado, por exemplo.

  1. Utilizar linguagem simples e fácil de entender

Não queremos criar entraves à conversão utilizando palavras mais complexas ou frases menos diretas.

  1. Tornar o anúncio o mais informativo possível

O nosso copy deve procurar responder às questões que a nossa audiência possa ter, mediante os dados que conseguimos ter sobre o seu comportamento de pesquisa.

  1. Ser empático

O foco deve estar sempre na audiência e não na nossa marca: “…talk about what THEY (your customers) want and SHOW them how to get it. It’s always about them, never you.” – Dale Carnegie.

  1. Apelar ao sentido de urgência

Colocar no título do anúncio informação que incentive à ação imediata, como ofertas especiais e descontos temporários.

Para além destas recomendações, é fundamental apostar na constante otimização dos anúncios, adaptando o copy, fazendo alterações no setup das campanhas e revendo a estratégia de marketing, sempre com a criatividade como principal aliada.